Entre em sua conta



Crie sua conta


Dados Pessoais

Endereço

Dados da Conta


Falta de médicos na UPA paralisa atendimento no hospital

28 de agosto
000

Médicos teriam deixado de atender no final de semana por falta de pagamento. Paciente gravou vídeo que percorreu as redes sociais e chamou a atenção dos vereadores, que propuseram Audiência Pública para debater o caos na Saúde. Prefeitura não se manifestou sobre o caso 

Hospital cheio, mas não há médicos. Foi dessa forma que foi descrita a situação do Hospital Júlia Pinto Caldeira (UPA), no final da semana passada, os dias 19 e 20. O motivo seria o atraso no pagamento dos médicos. 
Na manhã do sábado (19), um paciente que estava aguardando atendimento do Hospital Júlia Pinto Caldeira ficou inconformado com a demora e resolveu fazer um vídeo mostrando que não havia médicos no hospital. O vídeo foi gravado por volta das 10h, e dá para ver diversas salas vazias, alguma movimentação de funcionários e enfermeiras e algumas pessoas recebendo atendimento com soro e curativos. O paciente percorreu as salas e foi até a recepção, filmando a TV por onde são controlados os atendimentos e que mostrava o dia e o horário (dia 20 de agosto, 10h), além de mostrar a recepção bastante cheia. No vídeo ele fala que não há médicos, que “essa é a nossa cidade, sala lotada desde às 7h”, e fala sobre o descaso “do prefeito e dos vereadores”.   
O atendimento teria continuado precário no domingo, e de acordo com informações de outro vídeo, ainda na segunda-feira (21), já no começo da noite, um senhor de 77 anos com pressão alta reclamou da demora, uma senhora, segundo seus familiares, estava há 4 horas aguardando que encontrassem a ficha de atendimento dela que havia extraviado, uma criança com febre alta estava aguardando atendimento desde às 14h30, dentre outros casos.
Depois que um paciente postou um vídeo sobre o assunto que varreu as redes sociais (teve mais de 17 mil visualizações até à tarde da quarta-feira, dia 23), o assunto foi um dos destaques durante a sessão da segunda-feira (21). O motivo da falta de médicos seria o atraso nos pagamentos desses profissionais, fator já recorrente no Governo do prefeito Fernando Galvão (DEM), conforme noticiamos no dia 27 de maio deste ano. “Peço ao senhor prefeito que pague os médicos da UPA, que estão com atraso em um ano de seus vencimentos”, disse, na época, o vereador Fernando Piffer (PSDB), que é médico e um dos “colaboradores” da diretoria de Saúde, departamento comandado por Sônia Junqueira. 
Já na sessão da segunda-feira (21), o vereador Piffer tentou explicar o motivo da falta de médicos mas acabou colocando os colegas na fogueira, em especial a diretora Sônia Junqueira, que foi desautorizada publicamente pelo vereador que, além disso, é colaborador do Departamento de Saúde. “Houve uma reunião, na qual a Dra. Sônia Junqueira participou, falou-se [sobre pagamento], e o Dr. Felipe passou isso para frente, que os médicos receberiam dia 05 de agosto. Nunca a Prefeitura pagou nenhum prestador antes da folha de pagamento. Mas isso se propagou e os colegas médicos ficaram esperando dia 05, 06, 07... dia 20 e receberam hoje (21). Isso criou um desconforto grande na equipe, deixou o Felipe abalado pois foi quem propagou essa informação, e aí vieram vários transtornos que têm afetado a população. A Sônia está em cima da OS, mas a Sônia não tem ascendência na OS, pois é um contrato com a Prefeitura, o atraso vem vindo há 18 meses, a Prefeitura vem tentando recuperar esse atraso e colocar em dia, mas o desconforto maior foi pela data que informaram e não aconteceu. A população tem que ser atendida, e quem não quiser trabalhar com atraso que não venha, que saia da escala, mas o médico tem que receber. Isso é uma cobrança que a Sônia faz com a OS, no mês passado a OS recebeu em dia da Prefeitura mas demorou para repassar para os médicos, segundo desconforto. Isso deixa a equipe, sem dúvida, as pessoas que vêm de fora, não desconfiadas, mas desanimadas. Dr. Cassiano atendeu na pediatria sábado e domingo sozinho e sem filas. Fiz plantão domingo à noite na pediatria, sem filas. Agora, ninguém manda em mim, mas os médicos que a OS são responsáveis, a OS é responsável. E cada um arque com suas consequências, são todos nível superior, sabem dos seus direitos e dos seus deveres. A Sônia pede, há muito tempo, que a Prefeitura fique em cima da OS para a prestação dos serviços que foi contratada”, disse o vereador Piffer da tribuna.


Deixe um comentário