Entre em sua conta



Crie sua conta


Dados Pessoais

Endereço

Dados da Conta


Fechamento de Biblioteca Municipal gera debate na Câmara

27 de maro
000

Mais um vereador (desta vez da base aliada), pede informações da Prefeitura sobre quando e onde a biblioteca será reaberta e sobre seu acervo

Na segunda-feira (12), os vereadores votaram um requerimento solicitando informações sobre onde e quando será reaberta a Biblioteca Municipal, bem como de que forma seu acervo será armazenado até lá. O requerimento é de autoria do vereador Jorge Cardoso (PSD), que na sessão anterior também teceu críticas para onde seria levado o acervo da biblioteca. “Vão levar todo a acervo da Biblioteca para o Poupatempo. Não há espaço. E eu ainda fui obrigado a ouvir de um assessor da Prefeitura que ‘Ah, mas o povo não usa mais a biblioteca. Ninguém mais quer ler’. Daí você espira e fala: ‘lógico, gênio! E você não estimula. Uma cidade desse porte sem biblioteca? Uma vergonha”, disse no dia 05 de março. 
O requerimento diz que “Considerando que a Biblioteca Municipal se encontra fechada desde 19 de junho de 2017, inviabilizando o acesso da população ao respectivo acervo; Considerando que, por ocasião do vencimento do contrato de locação do prédio comercial onde a Biblioteca Municipal está atualmente instalada, culminando na necessidade de transferência do acervo que a compõe para outro local;  Considerando que, conforme informações que recebemos recentemente, o acervo da Biblioteca Municipal, de considerável volume, estaria sendo transferido para o antigo prédio do Procon Municipal, na Praça José Stamato Sobrinho no 129, local desprovido da capacidade de armazenar sequer metade do acervo, inviabilizando o acesso da população que necessita da utilização da Biblioteca Municipal, em especial os mais carentes;
Requeiro à Mesa, após ouvir o Douto Plenário, nos termos regimentais, que seja encaminhado ofício ao Prefeito Municipal Fernando Galvão Moura bem como ao Diretor do Departamento Municipal de Cultura Glauco Carvalho Corrêa, para que esclareçam se o espaço físico será suficiente para os cerca de 40 mil livros do acervo, além das coleções históricas, sala de leitura e de informática, bem como especifiquem se a acomodação do mencionado acervo permitirá que os munícipes tenham fácil acesso ao mesmo e possam dele se utilizar com um mínimo de conforto e dignidade no novo local e, ainda, que encaminhem a esta Casa de Leis a relação de todo o acervo que compõe a Biblioteca Municipal que esteja devidamente catalogado.”
Cardoso comentou o requerimento. “O pedido é para tentar entender esse impasse que se arrasta há meses sobre a biblioteca. É uma tentativa de entender como vai ser possível armazenar tantos livros, fora o acervo da pinacoteca e outras, e que podem sofrer algum tipo de dano se for armazenado de forma irregular, do que imaginamos ser a forma correta, vai causar um prejuízo muito grande e vai atrapalhar a abertura da biblioteca. Quero saber como está o acervo, do que ele é composto e onde será instalado, se vai conseguir atender o público e funcionar de uma forma eficiente. Sabemos da importância da biblioteca e da leitura, e por isso a nossa preocupação”. 
O vereador Paulo Bola (MDB), comentou em seguida. “É um pedido que fazemos desde o ano passado, pois a Prefeitura praticamente assassinou a biblioteca, deixando o acervo sob goteiras, em prédio mal cuidado, sem manutenção. Fizemos várias cobranças ao prefeito, ao Departamento de Cultura e ao de Educação para que se mobilizasse, mas nada. Aí o prefeito prometeu reabrir a biblioteca, retirou o Procon de lá e agora foram todos para o prédio do Posto Central. Disse que a biblioteca vai para o prédio que ficava o Procon, mas todos sabem que lá não cabe, não tem jeito. Quando fechou a biblioteca sugerimos alugar uma casa maior, mas foi falado que o Gabinete na época não aceitava gastar dinheiro com aluguel para a biblioteca, ou seja, fazendo contenção de despesa com a biblioteca municipal. Não pensou nas pessoas, nos alunos, simplesmente vai se acabando tudo. Já falei várias vezes e volto a repetir: baixe o salário do primeiro escalão da Prefeitura que vai economizar e muito, vai sobrar dinheiro para alguma coisa. Tem diretor que vale a pena, mas tem gente que estão gastando dinheiro à toa. Eu falei, economiza um pouco que vai sobrar dinheiro para outras coisas. Falo isso há 5 anos, e tudo está se acabando. No prédio do Postinho Central está tudo amontoado, o Sebrae apertado com o Procon e o Itesp, a biblioteca não vai caber onde querem colocar, e o que vão fazer? Estão acabando com tudo aos poucos. Quer economizar? Comece com os altos salários e vai sobrar dinheiro para muita coisa”, sugeriu Bola.
Líder do prefeito na Câmara, a vereadora Sebastiana Tavares (DEM), sugeriu que a biblioteca fosse transferida para o IMESB. “Jorge, eu tenho que concordar com o requerimento, nós já conversamos, eu já tinha dito que não concordo e não vai caber o acervo. Por que não leva para o IMESB? Nós temos espaço, não vamos pagar aluguel, e no local que reformou coloca outro departamento que hoje paga aluguel. Eu prefiro que vá para o IMESB e a diretoria da instituição já se mostrou favorável para que a biblioteca vá para lá”, disse, mesmo sabendo que o IMESB fica longe da área central, o que poderia dificultar o fácil acesso da comunidade ao livros. 
Fazendo uma analogia com outros departamentos e criticando a falta de planejamento do da Prefeitura e do Departamento de Cultura, o vereador Fernando Piffer (PSDB) disse: “Se um vereador professor, da base aliada, tem que fazer um requerimento para ter informações sobre um assunto dessa importância e dessa gravidade, aí fica difícil. Se a Sebastiana diz que a melhor opção é o IMESB, quem decidiu que tem que ficar numa casa apertada? Qual o planejamento? Qual o planejamento da Educação? Se o Jorge está questionando sobre a qualidade do ensino, ele que é da área educacional, capacitado, experiente, estudioso da área, isso preocupa. Onde está o planejamento da Educação para essas mudanças, diferente da Saúde que tem urgência, que desmonta qualquer planejamento? A educação não, ela é previsível em todos os atos, gastos e investimentos. Planejamento”, finalizou.  

Falta comunicação ou planejamento?
Desde julho de 2017 a Biblioteca Municipal Coronel Raul Furquim está fechada. Segundo a Prefeitura, o motivo seria que o proprietário do prédio teria decidido fazer manutenção no telhado e aproveitado a estiagem para isso. Conforme publicamos em reportagem de 12 agosto de 2017, questionamos o Coordenador de Cultura, Glauco Corrêa, sobre o fechamento da biblioteca, e ele informou que o contrato de aluguel do prédio da Rua Brandão Veras, no Centro, estaria para vencer e que não sabia se seria renovado, mas disse não poder afirmar na ocasião se haveria ou não mudanças. Na época havia boatos de que a biblioteca passaria para uma sala no IMESB (Instituto Municipal de Ensino Superior de Bebedouro), no bairro Eldorado, mas Corrêa afirmou. “A Biblioteca vai mudar de local este mês... Depois divulgaremos, mas já adianto que não será IMESB”, disse Correa, não informando o novo local e nem a data de reabertura. Isso foi em agosto, e o diretor afirmou que a biblioteca mudaria de lugar. Passados 7 meses, somente agora o acervo deverá ser retirado do antigo prédio.  
No dia 14 de agosto, ou seja, posteriormente à publicação da reportagem, o prefeito Fernando Galvão (DEM), informou que a Biblioteca Municipal passaria a funcionar no casarão em que funcionava o Procon, que hoje ocupa o prédio que era destinado à Farmácia Popular, ao lado da UBS Moacyr Caldeira. A um jornal local, o prefeito disse: “Diante das dificuldades econômicas, utilizaremos um prédio que é municipal, sem necessidade de se pagar aluguel, é histórico e no centro da cidade. Ainda de acordo com um jornal local, segundo o prefeito, o novo prédio da Biblioteca Municipal deveria passar por pequena reforma para que seja preparado para receber todo seu acervo.”
Quem já esteve naquele prédio sabe que nem de longe ele comporta todo o acervo de livros e a Pinacoteca Municipal, e mesmo que caiba tudo no mesmo local, não sobraria espaço para que os frequentadores da biblioteca pudessem ter acesso aos livros de maneira confortável. Resta saber onde o prefeito irá colocar o acervo até que defina um novo local para a biblioteca e o que será feito desse acervo. 


Deixe um comentário