Entre em sua conta



Crie sua conta


Dados Pessoais

Endereço

Dados da Conta


Bebedouro encerrou 2016 com um saldo de 3.867 demissões

30 de janeiro
000

Só em dezembro, saldo de demitidos chegou a 2.255 
 
Pelo quinto mês consecutivo, Bebedouro apresentou saldo negativo na geração de empregos. Em dezembro, as contratações (553) foram superadas pelas demissões (-2.808), gerando um total de 2.255 demissões.
Construção Civil (-11), Serviços (-192) e Agropecuária (-2.106), apresentaram resultados negativos na geração de empregos. Indústria (+52) e Comércio (+2) fecharam o mês de dezembro com saldo positivo na geração de empregos.
No ano de 2016, a Agropecuária acumulou 3.894 demissões e a Indústria, -136. A Construção Civil acumulou 60 contratações, o Comércio, 33, Serviços, 69, e Serviço Industrial de Utilidade Pública, 1.
 
Região
No mês de dezembro, das 22 cidades pesquisadas por O Jornal, apenas uma apresentou resultado positivo na geração de empregos, Severínia, pois as contratações (+95), superaram as demissões (-46), gerando um saldo de 49 contratações. 
Vinte e uma cidades  apresentaram resultados negativos na geração de emprego no mês de dezembro, entre elas: Pontal (-2.876), Bebedouro (-2.255), Ribeirão Preto (-2.046), São José do Rio Preto (-1.664), Barretos (-1.020), Matão (-914), Guaíra (-536), Catanduva (-511), Monte Azul Paulista (-441) e Taquaritinga (-282).
Em 2016, Guaíra  foi a cidade da região que mais gerou empregos (+417), sendo seguida por Severínia (+189), Pitangueiras (+152), Pirangi (+75) e Pontal (+15). 
As demais 17 cidades pesquisadas encerraram 2016 com saldo negativo na geração de empregos, e entre as que demitiram estão as seguintes cidades: São José do Rio Preto (-4.667), Bebedouro (-3.867), Ribeirão Preto (-3.860), Matão (-3.193), Catanduva (-1.262), Jaboticabal (-790), Monte Azul Paulista (-629), Sertãozinho (-469), Guariba (-358) e Colina (-279).
 
Brasil
Em 2016, as demissões no Brasil  superaram as contratações em 1,32 milhão de vagas formais, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados no dia 20 de janeiro. Se existe um lado positivo nesta informação é o de que, se comparado a 2015, houve uma pequena melhora, pois enquanto em 2016, 1,32 milhão perderam o emprego, em 2015 o saldo foram 1,54 milhão de brasileiros que perderam emprego. 
Ao final de 2015, o Brasil tinha 39.693 milhões de pessoas trabalhando com carteira assinada, e hoje este número é de 38,371 milhões de empregos formais existentes.
Em dezembro de 2016 as demissões superaram as contratações em 462.366 vagas com carteira assinada.
De acordo com os números do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), todos os setores da economia fecharam vagas no ano passado. O setor de Serviços foi o que mais cortou empregos: 390.109, seguido por Construção Civil (-358.679), Indústria de Transformação (-322.526), Comércio (-204.373), Indústria Extrativa Mineral (-14.000), Agricultura (-13.089), Serviços de Utilidade pública (-12.687) e Administração Pública (-8.643).
O emprego formal caiu em todas as regiões do país no ano passado. O Sudeste fechou 788.558 empregos, a região Nordeste, 239.239, a região Sul, 146.472, a região Norte, 80.415 e a região Centro-Oeste, 67.310.

 


Deixe um comentário