Entre em sua conta



Crie sua conta


Dados Pessoais

Endereço

Dados da Conta


Diretor de Gabinete entra com pedido de abertura de investigação contra Paulo Bola

09 de abril
000

Vereador, que se destaca por sempre atender a população e que pode ser um dos candidatos a prefeito em 2020, já estaria sofrendo represálias por conta de suas críticas ao governo Galvão

 

Bem-vindo a 2020, caso leitor. Pelo menos, seguindo a ótica atual, as eleições municipais que só acontecerão daqui a dois anos já começaram e algumas ações um tanto quanto repentinas já podem ser vistas. Nem bem a eleição majoritária acabou, alguns políticos daqui já estariam “colocando o bloco na rua” e tomando medidas tentando conter possíveis adversários.

Na segunda-feira (22), foi protocolado na Câmara um ofício endereçado ao presidente José Baptista de Carvalho Neto, o Chanel, nos seguintes termos: “Nota de repúdio. Conduta de vereador incompatível com suas atribuições. Solicita esclarecimentos e abertura de procedimento interno para apuração dos fatos”, assinado pelo Diretor de Gabinete Paulo Sérgio Garcia Sanchez. O ofício diz que “em meados de outubro de 2018, o vereador Paulo Bola, desmerecendo a autonomia administrativa do Poder Executivo, utilizou-se de sua condição de parlamentar para exarar ordens de cunho oficial direcionada a servidor municipal, determinando que automóveis adquiridos por intermédio de procedimento licitatório - realizado pelo município - fossem entregues à dadas instituições situadas nesta cidade.”

O ofício diz, ainda, que Paulo Bola teria se deslocado “até a sede da concessionária vencedora da licitação, também valendo-se de sua condição de vereador”, e que teria “determinado a entrega dos veículos ao Almoxarifado Municipal/Patrimônio, mesmo sendo deter conhecimentos acerca da concretização do repasse que seria utilizado para pagamento dos automóveis.”

Diz, também, que “acatando a ordem do respeitável vereador, a empresa vencedora do certame licitatório entregou os veículos ao Almoxarifado Municipal/Patrimônio, ocasião em que o vereador deslocou-se ao referido departamento municipal ordenando a entrega dos veículos as instituições beneficiadas, isso sem qualquer formalidade ou cautela procedimental.”

E continua: “Interessante registrar, para demonstrar e evidenciar a indevida ingerência do vereador na esfera do Poder Executivo, que o Gabinete Municipal foi acionado pela empresa vencedora do certame para realização do pagamento, sendo somente nesse momento que a Prefeitura Municipal tomou conhecimento de que os automóveis havia sido entregues e estavam, inclusive, sendo utilizados pelas instituições beneficiadas. Conveniente informar que, nada obstante devidamente formalizado os trâmites para recebimento dos recursos das emendas parlamentares conquistadas pelo nobre vereador através dos deputados Baleia Rossi e Léo Oliveira, os recursos propriamente ditos até a presente data não foram creditados/disponibilizados nos cofres municipais. Diante desse cenário, desde logo repudiando a conduta do parlamentar, requer-se que vossa excelência [o presidente Chanel], na qualidade de presidente desta Casa de Leis, determine a prestação de esclarecimentos por parte do respeitável vereador Paulo Bola, determinando, outrossim, se for o caso, abertura de procedimento interno para apuração da conduta do vereador e suposta incompatibilidade com suas atribuições legalmente estabelecidas na Lei Orgânica e também no Regimento Interno desta Câmera.”

Ouvido pela reportagem, o vereador Paulo Bola disse que irá enviar sua defesa ao presidente Chanel e que espera que tudo seja esclarecido o mais breve possível. Ressaltou que em nenhum momento “passou por cima” do Poder Executivo e tampouco tem poderes de intervir em um processo licitatório, além de que não tem autonomia sobre qualquer empresa e muito menos uma concessionária de veículos de modo a “forçar” a entrega de um bem sem que isso já houvesse sido antes acertado entre a própria Prefeitura e a empresa. 
Ele acredita que há uma perseguição ao seu trabalho de vereador. “Sempre busco atender aos pedidos da população, que me questiona e eu corro atrás para solucionar tudo da melhor maneira. A cidade está em um estado lastimável, muitos buracos, problemas graves na saúde, e eu procuro fazer o meu trabalho. Esse tipo de ação só mostra o despreparo do governo e, também, desespero de alguns que não aceitam críticas. Vou sempre lutar e atender os pedidos da população e buscar melhorias para os inúmeros problemas que esse governo não dá conta de resolver, e deve ser por isso que estão me perseguindo. Não acho justo fazerem isso com quem trabalha, até porque não tenho autonomia para emitir nenhum documento relativo a um processo de compra. O governo deveria se ater a resolver problemas básicos que carecem de solução, não ficar perseguindo quem quer trabalhar pelo povo”, disse à reportagem de O Jornal

O caso tem tramitação de 15 dias, a contar da data de recebimento, para envio dos esclarecimentos.


Deixe um comentário