Entre em sua conta



Crie sua conta


Dados Pessoais

Endereço

Dados da Conta


Prefeitura cancela processo seletivo por descontrole financeiro

04 de junho
000

Processo seletivo foi suspenso até gasto com folha de pagamento cair. Justiça já move ação por descontrole financeiro do governo

É triste, mas Bebedouro está quebrada financeiramente. Com a dívida batendo na casa dos R$ 148,1 milhões, conforme informou o Diretor Financeiro Josué Marcondes de Souza na Audiência Pública de Prestação de Contas referente ao 1º Quadrimestre de 2019 ocorrida na quinta-feira (30). Não bastando isso, nenhuma política de contenção de despesas é vista por iniciativa do governo do prefeito Fernando Galvão (DEM), que, além de elevar a dívida em mais de R$ 108 milhões (pegou uma dívida de R$ 40 milhões de seu antecessor), infla a folha de pagamento da Prefeitura com centenas de assessores ganhando polpudos salários. Prova disso é que, conforme informou o Diretor Financeiro, o limite prudencial com a folha de pagamento foi excedido e já bateu na casa dos 51,61%, acendendo o sinal vermelho e impedindo a Prefeitura de contratar mais funcionários, já que fere a Lei de Responsabilidade Fiscal. E ao invés de enxugar a folha e implantar medidas de contenção de gastos, o prefeito ainda recorre da decisão do juiz Senivaldo dos Reis Júnior, que concedeu liminar que o impedia de nomear servidores em comissão e pagar gratificações. 
Conforme foi divulgado nesta semana, a Prefeitura, por conta do limite prudencial, cancelou os processos seletivos 004 e 005/2019. Não precisa dizer que o ato gerou grande revolta em quem estava aguardando a oportunidade para ingressar na carreira pública, e revolta também por conta do descontrole financeiro que domina o Governo Galvão desde o início. 
Em comunicado emitido pelo Diretor de Recursos Humanos, Valdecir Valêncio, ele informa que assim que o limite prudencial se regularizar, os processos seletivos serão retomados. 
Na tribuna da Câmara, o assunto foi levantado pelo vereador Paulo Bola (MDB). “A Prefeitura provou mais uma vez a lambança que ela executa ao abrir um processo seletivo, o 04/2019 e o 05/2019, fazer o edital, publicá-lo, abrindo vários cargos, e hoje, com as pessoas indo até o RH para fazer inscrição, foram abordadas pelo diretor de RH, o senhor Valdecir Valêncio, dizendo que foi suspenso porque a Prefeitura está com limite prudencial estourado e ela não pode mais realizar contratações. Pasmem, como uma prefeitura pode montar um processo seletivo, publicá-lo, muitas pessoas foram lá fazer inscrição, e simplesmente solta um esclarecimento de que o processo está suspenso? Então, para mostrar que a Prefeitura não está seguindo a lei, a lei de responsabilidade fiscal diz que se a despesa total com pessoal ultrapassa o limite prudencial, terá que adotar providências extinguindo cargos em comissão e também reduzindo valores de salários. Depois poderá ter a redução temporária da jornada de trabalho e adequações dos vencimentos. O limite prudencial fixado é de 54%. A Prefeitura está infringindo a lei novamente. O prefeito precisa rever o que está fazendo, pois deixou pessoas esperançosas para fazer este processo seletivo e agora vê que não tenho dinheiro de fazer para fazer o processo. Precisa começar a se organizar, falta planejamento e organização”, disse.


Deixe um comentário