Entre em sua conta



Crie sua conta


Dados Pessoais

Endereço

Dados da Conta


Na frente de Galvão, governador Dória afirma que conquistou o investimento que a Cargill faz em Be

05 de agosto
000

“E que não pairem dúvidas [sobre o fato de que conquistei esse investimento] eu gravei um vídeo em Davos e coloquei nas redes sociais naquele dia anunciando o investimento”, disse o governador que, acabou desmentindo a informação que o prefeito Fernando Galvão Moura (DEM) havia difundido, atribuindo a ele e ao secretário Lucas Seren a conquista do investimento da Cargill

Com a presença do governador João Dória (PSDB), de diretores e funcionários da Cargill, de deputados federais e estaduais, secretários estaduais, prefeitos, vice-prefeitos e vereadores de Bebedouro e região, aconteceu em Bebedouro na segunda-feira, 29 de julho, o lançamento da pedra fundamental da nova fábrica de pectina HM da Cargill. O projeto da empresa prevê investimento de cerca de R$ 550 milhões e faz parte de um plano da companhia para fortalecer e diversificar seu portfólio de pectina e também de melhorias em suas fábricas da Europa (Alemanha, França e Itália). A expectativa é que a nova fábrica esteja pronta em 24 meses e que gere 800 empregos durante a construção e 120 para a fábrica propriamente dita, com mão de obra de altamente qualificada, segundo o diretor da Cargill, Laerte de Moraes.
A presença do governador João Dória no evento de lançamento da pedra fundamental da nova fábrica da Cargill, além de valorizar o investimento que a empresa faz em Bebedouro, para surpresa geral também serviu para esclarecer o que foi preponderante para que a Cargill optasse pelo Brasil e particularmente por Bebedouro para a instalação de sua nova fábrica de pectina HM. 
Ao contrário do que havia sido difundido na cidade pelo prefeito Fernando Galvão (DEM), de que o crédito pela escolha de Bebedouro decorria da sua iniciativa e do secretário de Desenvolvimento Lucas Seren, conforme o governador Dória explicou em detalhes, a conquista do Brasil e de Bebedouro começou a ser construída em reuniões e principalmente num encontro que o governador teve em janeiro em Davos, na Suíça.
O governador João Dória contou: “O Luiz Pretti (CEO da Cargill Brasil) esteve conosco logo no início da nossa gestão. Laerte (Laerte de Moraes, diretor da Cargill), nós conversamos sobre essa fábrica aqui e a promessa foi cumprida. Nós estivemos juntos em duas oportunidades. Em janeiro fui para o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, fiz duas palestras durante o Fórum Econômico Mundial, a Cargill estava presente lá, era uma das  empresas que estavam presentes, o Luiz Pretti inclusive, lá nós conversamos, foram 23 encontros bilaterais que nós realizamos em Davos, ali foi a primeira conversa com vista a definitivamente fazer a implantação aqui, Fernando [Galvão], em sua cidade, da fábrica que daqui há 2 anos estaremos inaugurando.”
E depois de relatar como a Cargill optou pelo Brasil e por Bebedouro, sem destacar em nenhum momento a participação do prefeito Galvão na conquista, o governador revelou que, ainda em Davos, um outro investimento foi conquistado e que também estaria sendo lançado naquele dia: “E uma dessas conversas como foi mencionado aqui agora a pouco foi também com o Grupo Bracell de Singapura, e hoje às 14h30, estaremos anunciando um investimento de R$ 7 bilhões em Lençóis Paulista, o segundo maior investimento nestes 6 meses de governo. O primeiro foi da General Motors de R$ 10 bilhões em São José dos Campos e São Caetano, e agora esse de R$ 7 bilhões da Bracell.”
Em seguida o governador João Dória partilhou a “receita”, o que ele fez para a conquista dos investimentos da General Motors, Bracell e Cargill: “Pessoal, isso não aconteceu por mágica, aconteceu por trabalho e dedicação. É isso que eu queria me referir aqui a vocês, não é para fazer autoelogio, mas para mostrar como faz diferença quando você trabalha, quando você planeja, quando você tem uma boa equipe, um bom time, como temos aqui em São Paulo... Gestão pública tem que ter objetividade. Quando lá em Davos nós fizemos 23 contatos bilaterais, e em Davos, você tem apenas 10 minutos, tem que ser direto, cumprimenta e vai direto ao assunto pois tem 10 minutos para vender o seu peixe, se vendeu bem dá resultado, se vendeu mal, tchau, perdeu. Fizemos 23 encontros bilaterais em 3 dias e meio, sem perder tempo. Dos 23, 17 destes encontros estão produzindo resultados concretos para o Estado de São Paulo, um é esse aqui, da Cargill, que se consolidou a partir daquele encontro com o Luiz Pretti, e outro com esse grupo de Singapura que anunciará hoje o investimento de R$ 7 bilhões. É trabalho, falar menos e exercitar mais. Exercitar o bom atendimento e oferecer condições práticas para que o empresariado possa investir em São Paulo.”
Após dar a “receita” para prefeitos, vereadores e secretários de desenvolvimento sobre como conquistar investimentos, o governador João Dória falou sobre os resultados obtidos com planejamento, trabalho e uma equipe eficaz: “O resultado vocês viram, foi anunciado na semana passada, o PIB de São Paulo cresceu o dobro do PIB brasileiro. Nos seis primeiros meses deste ano São Paulo cresceu o dobro do PIB do Brasil. Não foi golpe de sorte, foi trabalho efetivo, produzindo resultados já de curto prazo. Criamos 221 mil novos empregos no semestre. O Brasil chegou a 330 mil novos empregos. São Paulo gerou 221.000 empregos graças aos polos de desenvolvimento que criamos. São 11 polos, é a primeira vez que o Estado de São Paulo realiza isso, como fazem os países desenvolvidos. Considero que o Brasil possa fazer também, mas São Paulo não fica esperando o Brasil. Um estado que tem mais de 1/3 da economia brasileira não tem que esperar, tem que liderar o Brasil e é isso que estamos fazendo”.
Após o evento no local onde teremos a futura fábrica da Cargill, o governador João Dória foi conhecer as obras do Hospital Estadual que está sendo construído na cidade e que, como todos diziam e o prefeito Galvão negava, estavam paralisadas. O governador anunciou que as obras serão retomadas em outubro e mais de R$ 7 milhões já previstos para a obra serão investidos na conclusão do Hospital Estadual. 
Em seguida, o governador João Dória foi a Estação Experimental de Citricultura de Bebedouro, para a abertura da Feacoop, e lá mais uma vez afirmou, possivelmente para não deixar dúvidas nenhuma, de que a fábrica da Cargill está se tornando realidade em Bebedouro graças ao trabalho que ele fez: “A Coopercitrus também é nossa parceira em uma viagem à China que começa agora de 02 a 10 de agosto. Essa é a nossa quarta missão internacional, sou um governador absolutamente globalizado, os nossos maiores investidores e compradores estão no exterior e não temos que fazer briga aqui dentro. Temos que ficar unidos em São Paulo e no Brasil para enfrentar os competidores internacionais e vender aos mercados e competidores internacionais. Essa é a nossa visão. Foi o que fizemos no começo do ano em Davos, onde consolidamos o investimento da Cargill que viemos lançar em Bebedouro hoje a pedra fundamental e que em menos de dois anos estará funcionando. Ali houve a confirmação de que esta fábrica seria instalada em São Paulo e em Bebedouro, e para que não pairem dúvidas eu gravei um vídeo em Davos e coloquei nas redes sociais naquele dia anunciando o investimento”.
Mais uma vez o governador atribuiu ao seu trabalho a conquista do investimento da Cargill em Bebedouro e em nenhum momento citou a participação do prefeito ou do secretário de Desenvolvimento. Diante do fato de que os dois pronunciamentos aconteceram na frente do prefeito Galvão e ele não rebateu ou complementou a resposta em nenhum momento e de que um vídeo foi gravado e postado no Facebook, com o governador exaltando sua conquista, conversando com o diretor da Cargill e tendo o prefeito como um figurante, tudo leva a crer que o que devemos levar em conta é a versão apresentada pelo governador.
Portanto, ao contrário do que o prefeito Galvão e o secretário Lucas Seren difundiram até aqui, a volta da Cargill a Bebedouro, através da nova fábrica de Pectina HM, se deve ao empenho do governador João Dória, que ressaltou em alto e bom som: “Foi o que fizemos no começo do ano em Davos, onde consolidamos o investimento da Cargill que viemos lançar em Bebedouro hoje a pedra fundamental e que em menos de dois anos estará funcionando. Ali houve a confirmação de que esta fábrica seria instalada em São Paulo e em Bebedouro, e que não pairem dúvidas eu gravei um vídeo em Davos e coloquei nas redes sociais naquele dia anunciando o investimento”. 


Deixe um comentário