Entre em sua conta



Crie sua conta


Dados Pessoais

Endereço

Dados da Conta


Henrique Prata relata em novo livro as providências que levam a filosofia do Hospital de Câncer de

07 de agosto
000

Obra lançada no dia 1o de agosto terá toda arrecadação destinada à instituição oncológica que atende gratuitamente cerca de 6 mil pacientes de todo o Brasil
 
Henrique Prata, gestor do Hospital de Câncer de Barretos (HCB), lançou na última terça-feira (1o), o Livro A Providência, com renda revertida para a instituição oncológica de Barretos que atende gratuitamente cerca de 6 mil pacientes de todo o Brasil. Bebedouro também fará parte do calendário de lançamento do livro, em evento ainda sem data definida. 
A obra relata como o primeiro livro de Prata (“Acima de tudo o amor”), sensibilizou empresários, políticos e demais membros da sociedade, que após a leitura, decidiram ajudar na dispendiosa tarefa de manter e expandir a atuação do HCB.
Reconhecido internacionalmente, o HCB é referência no Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2016, mais de 151 mil pacientes passaram pelo Hospital, 829.081 atendimentos foram realizados e a instituição diagnosticou 14.200 novos casos de câncer.
Com um corpo de 520 médicos e 4.000 colaboradores, o hospital conta, hoje, com mais de 120 mil m² de área construída, além das 12 unidades móveis que cruzam o país levando prevenção. Em 2016, as carretas de prevenção percorreram mais de 160 mil quilômetros, o equivalente a mais de três voltas ao redor da terra e realizaram 130 mil mamografias.
Um dos capítulos traz detalhes da ação de empresários de Rondônia que mobilizaram amigos, funcionários e até fornecedores para colaborar com a causa. Todo este empenho ajudou a tirar do papel o projeto de Construção do Hospital de Câncer da Amazônia. “Tudo isso foi providência. O livro virou um hospital”, afirma Henrique Prata, que também contou a história de empresários da cidade de Caçador (SC), que, inspirados no seu exemplo, assumiram a administração do Hospital Maicé e evitaram que a instituição fechasse. Para isso, organizaram diversos shows, leilões e bingos e buscaram apoio do governo local, assim como Prata faz no HCB.
Publicado pela Editora Gente, o livro custa R$ 35,00, tem 160 páginas e revela os milagres que levam a filosofia do Hospital de Câncer de Barretos para todo o Brasil.

O autor
Empreendedor nato, Henrique Prata é fazendeiro, agropecuarista e piloto privado e comercial. Cedo optou pelo trabalho em detrimento dos estudos. Aos 15 anos, já trabalhava na fazenda de seu avô. Intimado pelo pai, aos 33, atendeu aquele que ele chama de “o chamado de Deus” e abraçou a mais difícil de todas as tarefas: administrar o HCB. Sem curso de medicina, jaleco branco ou estetoscópio, levou adiante o que se tornou sua missão de vida: curar milhares de pessoas com câncer em um atendimento gratuito, humanizado e de qualidade, gerindo e captando recursos para manter o hospital.
Recolhendo doações de empresários, fazendeiros, artistas e figuras públicas, conseguiu transformá-lo em um dos maiores centros de tratamento oncológico do mundo.
Para Henrique Prata, “se você quer se encontrar com Deus, você precisa salvar vidas”, e que administrar um hospital especializado em câncer, que atende cerca de 3,5 mil pessoas por dia, é sua missão de vida.
Ao jornal Diário da Região de Rio Preto, onde o livro foi lançado no dia 3 de agosto, afirmou: “Esta é minha missão de vida. Se eu fosse médico, por exemplo, eu salvaria a vida de 20 pessoas por mês. Mas, por meio da minha missão, eu salvo duas mil. Sou um cara semianalfabeto, sem formação acadêmica, que aprendeu a trabalhar por amor.”

Acima de tudo o amor
“Um dia, em 1962, um casal de médicos fundou um pequeno hospital na cidade de Barretos com um forte ideal: fazer um atendimento humanizado, qualitativo e gratuito para os mais carentes. Depois de observar a dificuldade de inúmeros pacientes com câncer em conseguir tratamento em centros especializados, o fundador, Dr. Paulo Prata, transformou-o no Hospital de Câncer de Barretos (HCB). 
Em 1989, subsistindo com recursos públicos e algumas doações, o hospital estava deficitário, a ponto de fechar as portas. Um episódio mudou tudo: o terceiro filho do casal, Henrique Prata, fazendeiro que nunca cursou medicina, ao viver uma experiência de fé, resolveu abraçar a obra de seu pai e servir a Deus desse modo.
Enfrentou muitas dificuldades, mas conseguiu, com a ajuda de doações de empresários, fazendeiros, artistas e personalidades públicas, manter o hospital funcionando. Mas não só. Hoje, 50 anos após sua fundação, com 107 mil m2 de área, fazendo cerca de cem mil atendimentos gratuitos por ano, o HCB se transformou em um dos maiores centros de excelência do mundo no tratamento e pesquisa de câncer, reconhecido e premiado internacionalmente”, contou Henrique Prata no seu primeiro livro “Acima de tudo o amor”, que fez tanto sucesso que acabou estimulando o lançamento do novo livro, A providência.

Um chamado de Deus
Em 2011 Henrique Prata publicou o livro Acima de Tudo o Amor, no qual conta a história do Hospital de Câncer de Barretos (HCB). Nesse intervalo, foram vendidos cerca de 140 mil exemplares do livro e colhidos inúmeros relatos de pessoas tocadas pelo testemunho apresentado. Henrique, porém, jamais imaginou a proporção que aquela publicação tomaria. Entre os verdadeiros milagres presenciados por ele, está o de conseguir sanar, por meio de doações e eventos beneficentes [como a festa “Direito de Viver” que acontece anualmente em Bebedouro, a partir da iniciativa do empresário Henrique Arutim Filho e de outros benfeitores da cidade], com o apoio dos voluntários, um déficit mensal que gira em torno de 21 milhões de reais. Isso é prova de que, “ainda que nem sempre me deem razão ou que falte o dinheiro, eu faço a minha parte – e a Providência faz a dela”, diz Henrique. 


Deixe um comentário